terça-feira, 29 de julho de 2014

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Ao mestre, com carinho

O gesto de presentear alguém sempre carrega a intenção de fazer esta pessoa feliz. Já era esperado – afinal ela está comemorando o seu aniversário – mas o presente deve mostrar o seu carinho, a sua atenção e a sua amizade.

Demoramos aproximadamente 3 meses preparando o presente da professora da nossa turma de bordado. Tudo começou com a escolha dos guardanapos e do aro de enfeite. Aí, cada aluna, com criatividade e competência, bordou o monograma do casal.


Arrematados por uma renda, estavam prontos para serem lavados e engomados. 


Valeu à pena. Foi mágico o instante da entrega e acredito que, mais do que um presente, ela recebeu de volta o aprendizado que nasceu do seu cuidado com cada uma de nós.



Bom dia

Eu vi aqui

domingo, 27 de julho de 2014

Bom dia

Quem deixou a porta da geladeira aberta?

sábado, 26 de julho de 2014

sexta-feira, 25 de julho de 2014

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Churrasco à Marchesan

A receita de hoje – Churrasco à Marchesan- não é daquelas bem explicadinhas, com seus pesos e medidas. 

Todos que já se aventuraram pela cozinha sabem que, como bem disse Rubem Alves, “além de amar tem de saber. E o saber leva tempo para crescer”.

Se queremos acertar é bom estarmos preparados para errar e é assim que a gente vai aprendendo Sem medo de ser feliz, vá testando e experimentando (e engordando também). A única medida que eu posso dar hoje é que sempre calculamos 1 colher de tempero pronto (sal e alho) para cada quilo de carne. O resto, vá colocando “no olho”.

Este jeito de preparar carne assada que utilizo aqui em casa eu aprendi em uma entrevista dada pelo Deputado Federal Nelson Marchezan (1938 – 2002), quando lhe perguntaram como um gaúcho em Brasília e morando em um apartamento ficava sem o seu tradicional churrasco. É bom lembrar que esta entrevista deve ter mais de 20 anos e os espaços gourmet em prédio não existiam e a bem da verdade, o churrasco não era ainda esta mania nacional.

E ele ensinou assim:

Faça uma pasta com manteiga, azeite, cebola, sal, pimenta e ervas. Misture bem e espalhe por toda a carne (não fure a carne porque as fibras se partem e isto endurece a carne).

Sobre um tabuleiro (forrado com papel alumínio para facilitar na hora de lavar o vasilhame) coloque uma grelha com a carne, deixando o lado da gordura para cima.

Esquente bem o forno antes de colocar a carne para assar. Vire a carne e vá regando com a pasta de manteiga até o ponto desejado (mais ou menos passado).

E prepare-se para o cheiro de churrasco que vai invadir o seu apartamento.

Esta forma de preparo é utilizada para toda carne macia como a picanha porque a carne é colocada diretamente sobre a grelha.

Mas, quando fazemos uma costela de boi que é mais dura, a carne deve ser enrolada em papel alumínio, sem deixar nenhuma abertura para que o vapor não se espalhe. isto deve ser feito porque a carne deve cozinhar antes de assar. Não é preciso pré-aquecer o forno e devemos deixa-lo em fogo baixo por no mínimo 3 horas antes de abrir o papel alumínio e deixar a carne assar. 

As fotos são da última costela de boi que preparei. Quer um pedacinho? Não posso mandar porque não sobrou nadinha e a minha cinturinha de borda recheada com catupiry é a prova do que eu estou falando.

Passo 1 - Tempere a carne


Passo 2 - somente a costela deve cozinhar antes de assar


Passo 3 - Saborear