terça-feira, 1 de março de 2011

Meu Pai


Que a estrada se abra à sua frente,
Que o vento sopre levemente às suas costas,
Que o sol brilhe morno e suave em sua face,
Que a chuva caia de mansinho em seus campos...
E, que Deus lhe guarde sempre
na palma de Suas Mãos.

Mas não é possível finalizar esta história... Outras gerações estarão contando, ano após ano, a história do vovô Dodô... a história do Haroldo, profissional competente... a história do pai inesquecível e do marido companheiro e sempre presente. E todas começam assim: vamos falar de uma pessoa que sempre foi a expressão mais pura de ternura, bondade, compreensão, sabedoria, prudência, boa vontade, ética e capacidade de servir... seu nome? Haroldo Alves de Araújo, um homem de bem!!!

Um comentário:

Alessandra disse...

e a saudade fica...