segunda-feira, 11 de julho de 2011

Uma viagem

Este não é um blog sobre viagens (será que eu consigo definir o Kinder Ovo? Afinal, sempre falo do que me vem à cabeça...), mas quero registrar as minhas férias.

E as boas lembranças que ficarão para sempre. A viagem foi resolvida em apenas 3 dias: temos que tirar férias, estamos muito cansados e a hora é agora!!!

Sou de um tempo em que as viagens ao exterior eram programadas com muita antecedência. Tínhamos que fazer um “enxoval” e existia mesmo uma instituição “quem tem um casaco para emprestar?” Hoje é mais fácil, rápido e o outro lado do mundo não é mais um mistério. Poucos dias, poucas cidades e um prazer enorme em descobrir o novo. Assim, fomos a

Lisboa: apaixonei-me pelo Rio Tejo. E penso que descobri por que os portugueses tinham o desejo de conquistar novos mundos, pois o Tejo é um convite à navegação. Aliás, Portugal tem uma piada a este respeito. Dizem que quando uma criança nasce a primeira frase que pronuncia é “Mãe, vou viajar.” Além disto, é muito bom se perder na ruelas do Chiado, Largo do Carmo, Baixa Pombalina, Rossio, Alfama. A gente sente-se em casa. E o bacalhau... sem comentários porque a sua lembrança ainda dá água na boca.


Vi as festas em homenagens aos santos de junho, com as sacadas enfeitadas.

Depois, um dia conhecendo Estoril, Cascais e Sintra. Mais a sul, o Cabo da Roca, ponto mais ocidental da Europa continental, eternizado por Camões como o local “onde a terra acaba e o mar começa …”.

Em seguida, a partida para Fátima. Lugar de valores e emoções. Ao chegar, ouvimos os badalos do sino cantando A treze de maio na cova da iria,No céu aparece a Virgem Maria. Ave, ave, ave Maria! Ave, ave, ave Maria! Aos três pastorinhos, cercada de luz, Visita Maria a mãe de Jesus.... cantiga antiga, dos meus tempos de coroação à Virgem, em noites frias de maio.

Seguindo caminho, encontramos Marvão. Esta vila encontra-se implantada no topo de uma serra, emoldurada por muralhas que um dia foram defesa do território. Vale destacar a beleza das hortências e o almoço rústico, à sombra de bordos (a folha desta árvore aparece na bandeira do Canadá




Madri: preciso voltar a esta cidade e conhecê-la mais. O guia deste percurso era fraco, confuso e sem organização. Mas vale a pena destacar o Mercado de São Miguel que é um lugar de venda de produtos típicos e onde se pode degustar um vinho e os famosos tapas, aperitivos espanhóis. Vale também uma visita ao restaurante mais antigo do mundo – Botin. Desde 1725, serve o mesmo leitão assado em forno a lenha, que vem inteiro para a sua mesa. Imperdível!!! A gente esquece as calorias e aprecia os momentos passados neste lugar que ainda lembra a antiga hospedaria dos viajantes. E é aconselhável fazer reserva. Além disto, em Madri, vale a pena destacar a beleza de suas praças e fontes.




Uma passada rápida por San Sebastian e uma história muito engraçada para pedir o almoço. Queríamos experimentar os pintxos – uma variação dos tapas espanhóis. Mas é impossível entender uma única palavra do espanhol desta cidade do país basco, parece mesmo a brincadeira da língua do “p” que as crianças fazem. Resultado: um dos aperitivos eram ovos cozidos à milanesa. Alguém já comeu? Não aconselho experimentar.



À noite, Bordeaux. Um jantar delicioso, tomando um bordeaux.


No caminho para Paris, uma parada rápida para conhecer o Castelo de Chambord, no Vale do Loire. Assistimos a um casamento em sua capela e admiramos os seus jardins.


Ultima etapa da viagem: Paris. Hora de parar de carregar malas e apenas aproveitar todos os momentos para conhecer, visitar e andar muito pelo centro histórico. Indescritível, somente posso dizer que amei conhecê-la e voltarei tantas vezes puder.


As atrações são inúmeras: Versailles, Jardin de Luxembourg, Quartier Latin, Bateaux-Mouches, Seines, Ladurée, Notre-Dame de paris, Arc de Triomple. Òpera Bastille, Tour Eifeel, Montmartre, Sacré Coeur, Musée du Louvre...


E passear por Saint Germain e Avenue des Champs-Élysées, apreciando seus, monumentos, cafés e bistrôs. As lojas de grife. E Galeries Lafayette - a gente adora presentes.









Uma observação: marido estava o tempo todo comigo. Com a máquina fotográfica na mão. Pelas fotos até parece que estava sozinha.

3 comentários:

Marilia Marques disse...

OLa querida, obrigado por ter passado la no meu blog e ter deixado suas palavras de apoio....até parece não parecer muito importante mas são como abraços de carinho para mim nesta hora tao delicada, tá dificil mesmo....
Quanto à seu post, nossa que viagem linda...espero que tenha gostado muito e aproveitado cada minuto, claro que como portuguesa diria que tinha faltado conhecer muito deste nosso pequeno país mas o que interessa mesmo é que tenha gostado do que viu e que guarde na lembrança com carinho, em relação a Madrid eu não conheço mas já ouvi falar muito desse mercado, fiquei com vontade de ir,mas Paris menina, Paris é aquela cidade indiscritivil para onde todas as energias romanticas se voltam, e a luminusidade? tem luz igual? quando o sol fica baixinho tem cor igual refelctida nos edificios antigos da cidade? quanto a mim, tem nao. Mas na proxima vez vai ter que conhecer mais desses Países viu? Ficou muita coisa pra ver quer na França, em Espanha, Barcelona é imperdivel e mesmo no nosso pequeno Portugal...tem que conhecer o norte do País gente! É bem diferente do que diz ter conhecido e vale muito a pena. Agora fica só faltando perguntar: e Fatima? colocando todo o marketing e toda a grandiosidade do templo de lado, não deu pra sentir aquela PAZ dificil de descrever? Olha, eu vivo a cerca de uma hora de Fatima (+/-) e quando visito é para procurar essa PAZ imensa que dá pra sentir, parece que não importa a religiao de cada um...a unica coisa que dá pra sentir é que é bom ficar ali em silencio...

Um beijo bem grande pra você Beatriz, espero que volte...e mais uma vez obrigado pelo carinho.

Marília Marques
armazemdepaixoes.blogspot.com

Sonia disse...

que delicia-as férias são fundamentais para manter a mente sã-e viajar é algo fantástico- conhecer lugares novos faz um bem á alma...que bom para vocês!

Regina disse...

Essas suas férias devem ter sido maravilhosas, e as fotos e sua narrativa estão ótimos. Eu não conheço a Europa, pois sempre nas minhas férias vou ao Brasil, mas estou pensando seriamente em dar uma voltinha por lá no ano que vem. Deve ser muito bom passear por lá.