quarta-feira, 11 de abril de 2012

A casa materna

Depois de 40 anos estou de volta à casa materna (é temporário, mas sem data de volta). É bom reconhecer os cheiros, os sons.

É muito bom encontrar objetos e sabores que fizeram parte da minha infância.

Há 25 anos ela tem o mesmo empregado: isto mesmo, um empregado (no masculino). Ele conhece todos os seus gostos, todos os seus desejos, sabe onde está até o alfinete da casa. Arruma uma cama como ninguém, lava e passa e tem mãos abençoadas na cozinha.

Por causa dele estou percebendo que a gente engorda muito na casa materna... veja a delícia de hoje.

Atenção ao guardanapo (depois explico a razão).

Quer a receita?? Ele lê a revista Caras e lá viu esta receita.

Torta de limão galego

Massa: misture 2 xícaras de farinha de trigo, 3 colheres de sopa de margarina, 1 pitada de sal, 2 colheres de sopa de açúcar. Amasse com aponta dos dedos até virar uma farofa. Ponha na forma e asse (ele usa um pirex).

Recheio: bata 1 lata de leite condensado com 5 colheres de sopa de suco de limão galego, ½ lata de crreme de leite, 1 colher de chá de raspas de casca de limão. Recheie a torta e reserve.

Cobertura: bata 2 claras em neve. Junte aos poucos 4 colheres de sopa de açúcar, sem parar de bater, até obter um merengue. Cubra a torta. Polvilhe açúcar. Asse a 150 graus para dourar.

9 comentários:

Angela disse...

Que post encantador, e que fiel ele é para sua mãe... Talvez arrisque dizer que o melhor amigo!
Já copiei a receita para fazer aqui em casa.
Bjo

✿ chica disse...

Noossa, que delícia isso. Eu, se voltasse à casa materna não teria nada, pois minha mãe nunca foi dessas coisas....

Adoraria ter um empregado homem pois assim serviria desde trocar lâmpadas altas, consertar coisas, a ajuda é bem melhor e maior... beijos,essa receita deu água na boca!!!chica

Sheila do Blog Passarinhos no Telhado disse...

Que tortinha apetitosa!
E a sua mãe deve ser uma pessoa especial para ter alguém a tanto tempo assim! Aposto que eles são grandes amigos!
Beijos querida! :)

Jussara Neves Rezende disse...

Beatriz,
que post delicioso! Não só pela receita, mas pelo seu texto "saboroso", gostoso de ler!
Eu adoraria ter um empregado de tantos anos, que conhecesse todos os meus gostos e manias... rs.
Abraço!

Lucia Luz disse...

Beatriz como te entendo.
Cá estou na casa da mamãe...
Temos uma amiga que se chama Beatriz que tem um empregado há mais ou menos o mesmo tempo da sua mãe.
São pessoas da família.
Uma benção!!
Um beijinho na rainha e na princesa.

Tina disse...

Que maravilha, a torta, o funcionário amigo e antigo, vc, a narrativa...
Se é galego é bom, eu garanto :)
Beijos baianos espanholados!

simplesmente....fascinante disse...

Bom dia Beatriz,
e eu que pensava que empregados assim só em novela!
Deve ser muito bom mesmo ter alguém de confiança que deixa de ser empregado pra virar amigo.
E é muito bom voltar às origens, com certeza cada canto é um recordação.
bjão e uma linda quinta.
Mari

Leninha disse...

Beatriz querida,

E o guardanapo?Você não explicou...

Adorei saber do fiel escudeiro de sua família...eu sempre quis ter um,mas nunca consegui.Espero que sua mãe esteja melhor.
Bjsssss,
Leninha

Regina disse...

Ah, eu preciso tanto de alguém assim como ele - talvez não, já pensou? Eu seria uma bolinha, baixinha e gordinha :)

Acho que você está tendo uma chance que poucos têm, está vivenciando o fechamento de um círculo em sua Vida - nasceu, viveu com sua família, saiu de casa para vivenciar sua Vida, e agora têm a chance de voltar para casa onde ganhou Vida, curtir e cuidar da mãe. Acho que você é abençoada.

ps.: posso estar enganada mas achei o guardanapo "a sua cara" :)

beijinhos e um ótimo final de semana pra você