quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Para refletir

Recuso-me a ser considerada excepcional, deficiente. Não sou. Sou surda. Para mim, a língua de sinais corresponde à minha voz, meus olhos são meus ouvidos. Sinceramente nada me falta. É a sociedade que me torna excepcional... 

A gaivota cresceu e voa com suas próprias asas. Olho do mesmo modo com que poderia escutar. Meus olhos são meus ouvidos. Escrevo do mesmo modo que me exprimo por sinais. Minhas mãos são bilíngues. Ofereço-lhes minha diferença. Meu coração não é surdo a nada neste duplo mundo... 

Sabia que gritava, mas os gritos nada significavam para minha mãe ou meu pai. Eram, diziam eles, gritos agudos de pássaro do mar, como uma gaivota planando sobre o oceano. Então, apelidaram-me de gaivota." "Mamãe dizia 'ontem'... e eu não entendia onde estava ontem, o que era ontem. Amanhã também. E não podia perguntar-lhe. Sentia-me impotente. Não tinha consciência do tempo que passava. Havia luz do dia, a escuridão da noite, mais nada. Tenho minha imaginação, e ela tem seus barulhos em imagens. Imagino sons em cores. Meu silêncio tem, para mim, cores. Nunca é preto ou branco.

(Trechos do livro "O Vôo da Gaivota" Emmanuelle Laborrit - Atriz surda)

Hoje é o Dia Nacional do Surdo, uma data para lembrar conquistas e vitórias . Estou muito ligada à comunidade surda uma vez que sou proprietária de uma empresa que trabalha com cursos online de Libras - Língua Brasileira de Sinais (já tinha falado antes onde trabalho? Não sei, acho que não).

Se você se interessa pelo tema pode me encontrar por aí:
www.megainfo.inf.br
Facebook Curso Librasnet

6 comentários:

Tina Bau Couto disse...

MUITO INTERESSANTE!
Eu acho que vc nunca tinha falado onde trabalha, mas agora sei e adorei saber.
Meu carinho com o som do coração :)

✿ chica disse...

Lindo texto, interessante tema.Bela homenagem ao dia! beijos,chica

Leninha disse...

Minha querida Beatriz,

Mensagem linda e comovente, amiga, para refletirmos e agradecermos a Deus, por nossos sentidos perfeitos, por nossa vida e por nossos filhos.
Lembrei-me da melodia de Mercedes Soza; Gracias a la vida, um hino de agradecimento por todos os sentidos funcionando com perfeição.
Já trabalhei com crianças surdas quando dei aula para classe Especial e foi muito gratificante.
Imagino que seu trabalho deva ser fonte de muitas alegrias para você. Parabéns!

Muitos bjssssss,
Leninha
Ah, era mesmo muito difícil a volta para Miradouro. Em todos os sentidos.

Sílvia disse...

Amei o texto, muito reflexivo.
Bjos.
Silvia.

marines disse...

Boa noite!
Não tinha conhecimento, mas sempre gostei de seu Blog! Acho interessante e com imagens lindas!
Meu irmão gêmeo é surdo mudo e tbm nunca sentimos essa diferença que a sociedade insiste em rotular! Parabéns! Linda mensagem! Tenha uma ótima noite e parabéns seus textos são belíssimos! Abraços

simplesmente....fascinante disse...

Bom dia Beatriz,
Para refletir e agradecer por escutarmos as algazarras dos pardais disputando uma migalha de pão.
Lindo texto!
Que nossa quinta seja de agradecimentos e maior percepção dos sons ao nosso redor.
bjão
Mari