segunda-feira, 22 de julho de 2013

Uma casinha branca, lá no pé da serra


Existe sempre alguma coisa ausente que nos atormenta. Alguma coisa sempre faz falta. Guarde esta ausência no fundo do sem coração. Sem dor, embora doa, e em segredo.

Eu vi aqui

8 comentários:

Jussara Silva disse...

Que casinha linda. Belíssimo trabalho.
Aproveito para te convidar para meu Concurso Cultural da Coats valendo uma bolsa cheia de produtos. Te espero lá.
Boa semana.
Bjs.

Jussara
http://caminhandonaarte.blogspot.com.br/2013/07/meu-1-concurso-cultural-em-parceria-com.html

Cristiano disse...

Sempre existe algo que te atormenta... sempre!

Ritinha disse...

Sempre sentimos falta de alguma coisa, sempre!
E muitas vezes nem sabemos o que é!
bjs
Ritinha

Rovênia disse...

Saudade de casa (casa da minha mãe, que sempre chamo de minha casa) ... e ela sabe bordar! Xiii! Revelei um segredo, uma dor, guardada no meu coração! :)

simplesmente....fascinante disse...

Bom dia,Beatriz,
E porque será que essas pequenas lacunas crescem tanto diante do todo que temos!!!!!
Amei a casinha.
Que nossa terça ( chuvosa ) seja simples e bem gostosa.
bjão
Mari

eder ribeiro disse...

Oi, bom dia, cheguei aqui através do blog da Tina e fiquei interessado devido ao nome do blog. Temos sim algum lugar para ser lembrado, somente o que eu lembro me traz alegria, foram momentos felizes q vivi lá. Bjos.

Pri disse...

Também prefiro assim.
Pena que a gente só aprende quando envelhece, quando já se machucou ou foi traído pela confiança de dividir a dor com alguém. Mas vale.
Adoro trabalhos assim, que improvisam e inventam elementos com acessórios de costura (como a renda que serve como cerca de jardim).
É algo além só do talentos com as mãos. ♥

Jussara Neves Rezende disse...

Que bela reflexão sobre aquela "coisa ausente" que sempre há e nos atormenta! Amei... é bem assim mesmo! E a casinha é um primor!