sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Passaredo


Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...

Mario Quintana

Eu vi aqui

5 comentários:

Bruxa disse...

Que gracinha!
Gosto muito deles, tanto ao vivo quanto nas artes.
Lindo poema de Mario Quintana.
Abraços e ótimo final de semana.

Fernanda Bender disse...

Lindo tanto o poema quanto a imagem ilustrando (super criativa por sinal).
Bom fim de semana!!

Pri disse...

Quintana!
Linda imagem. Dá vontade de fazer igual, se eu soubesse como..,

Bruxa do 203 disse...

Lindo!

Jussara Neves Rezende disse...

Esse poema do Quintana é uma daquelas peças de arte que a gente vê e suspira, tal a perfeição. Divinamente inspirado e inspirador! Mas acho que nunca esteve tão lindamente ilustrado quanto neste seu post. Lindos passarinhos de crochê! Amei!
:)