quinta-feira, 11 de setembro de 2014

O preferido

Depois de casada, durante um longo período, morei em uma casa.

Não tive filhos e marido viajava com frequência.

Era uma casa grande, com quintal e jardim.

Esta casa foi roubada algumas vezes. Oito vezes, para ser mais precisa. Felizmente, nunca estávamos em casa e, desde o primeiro roubo, nunca mais entrei em casa sem prestar atenção em tudo ao redor. Se estava tudo exatamente como deixei. Para perceber o menor sinal de que outra pessoa – sem ser convidada – deixou suas marcas por ali.

Tinha um lado bom: foi o período da minha vida em que todos os eletrodomésticos eram novinhos porque o seguro pagava por tudo. Videocassete (lembra-se dele?) vinha sempre com mais “cabeças”. A televisão? Sempre de última geração. Só ficavam velhinhos os que eles não conseguiam carregar, como geladeira e fogão. E esta farra acabou quando fomos para um apartamento.

O lado ruim: medo. Muito medo de qualquer barulho. Um barulho da janela que bate. Taquicardia, transpiração excessiva, um estado de alerta. Respiração acelerada. Músculos enrijecidos. Até descobrir que era o vento, que estava tudo bem.

Nestas horas, sempre acreditei que a melhor maneira de agir é se adiantar. Acendia as luzes todas e corria para a cozinha e ligava o liquidificador. No silêncio total da noite ele faz um barulho incrível e acordava até o cachorro, que nunca serviu para espantar ninguém (um dia ainda conto as histórias dele e do seu suicídio).

E foi assim que caí de amores pelo liquidificador.

Ele também me ensinou a preparar os primeiros bolos (veja aqui). Eu tinha muita dificuldade com as tais claras em neve e os meus bolos ficavam solados. Um horror... e iam diretamente para a lixeira.

Tenho sempre dois em casa: um deles apenas para suco. E o outro é “pau para toda obra”. Para lavar, uma dica: coloque um pouco de detergente e água. Ligue por alguns minutos e ele nem vai se lembrar mais do cheiro do que você preparou.

Mais vamos à receita de hoje? Hoje trouxemos a famosa Torta de Liquidificador. Esta massa é muito saborosa e o recheio você escolhe. Pode ser de frango, atum, palmito, cogumelos, calabresa e o que estiver “sobrando”. Ou tudo junto e misturado. Hoje eu fiz a de salsicha.

Tem também o suco de mamão. Meninas, vocês vão ver como ele é gostoso e simples de fazer. E pode tomar sem culpa porque não leva açúcar.

Torta de Liquidificador


Ingredientes da massa
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 ovo
1 envelope de sopa creme de cebola (ou de galinha)
2 colheres (sopa) de queijo ralado
1 xícaras (chá) de óleo
2 xícaras (chá) de leite
2 colheres (sopa) de fermento em pó.

Modo de fazer:
- Bater, no liquidificador, todos os ingredientes da massa

Ingredientes do Recheio
1 cebola média picada
3 tomates (sem sementes) picados
100 gramas de azeitonas picadas
2 colheres (sopa) de azeite
Orégano
Sal
Pimenta
Salsichas levemente aferventadas

Modo de fazer:
- Misturar os ingredientes e colocar por cima da massa.

Polvilhar queijo mussarela (que deveríamos escrever muçarela, mas acho muito feio) ralada e levar ao forno médio até dourar.


Uma dica: você quer preparar esta torta e servir no dia seguinte? Coloque para assar sem o queijo. No dia seguinte, quando for esquentar, polvilhe o queijo antes de levar ao forno. É que o queijo não derrete 2 vezes e desta forma ela vai ficar como se estivesse sido assada à pouco.

Suco de Mamão


Mais fácil é impossível. Basta levar ao liquidificador pedaços de mamão, suco Clight (é diet, sem açúcar) sabor tangerina e água. É bater e servir em seguida.

7 comentários:

✿ chica disse...

Puxa, que coisa essa história dos ladrões,Imaginei o medo! Eu morro de medo!

E A parte legal dos aparelhos novos, valeu, mas preferia ficar com os velhinhos, pra não te que conviver com os gatos de 2 patas...

Mas, a receita, maravilhosa e adoro o que se faz no liquidificador! Tri boa e fácil...Adorei! E o suco idem!!! bjs, chica

Ana Paula disse...

Receitas anotadas! Não conhecia esta com o creme de cebola.
Hoje fui ao mercado comprar mussarela e tinham mudado tudo: só tinha muçarela. Sabe que até o sabor mudou...
Beijo!

Jussara Neves Rezende disse...

Beatriz, que delícia de post! Eu faço uma torta bem parecida, mas anotei a dica do pacotinho de sopa de cebola... e a do suco... que boa ideia! Amei!
Menina... e isso de a casa ter sido assaltada 8 vezes??? Eu enlouqueceria!
Vou aguardar a história do suicídio do cachorro... curiosa!
Abraço!

Maria Luiza disse...

Pelo amor, heim? Ladrões em casa por 8 vezes?




























Imagino o seu pavor e bem fundamentado, não? Que feliz ideia essa do suco! Amei a receita da massa de liquidificador. Tudo de bom, meu abraço!


Tina Bau Couto disse...

Adorei a narrativa, a lembrança do amigo vídeo cassete, que ainda tenho fitas e que não tenho mais onde ver.
Será que voltam os aparelhos como estão voltando as vitrolas e vinis? Vou esperar!

Adorei a declaração ao liquidificador e anotei a técnica.

Anotei também e adorei também a receita. E vou te contar uma coisa, me deu uma vontade de morder atela com essas suas fotos :)

Vania Lucia disse...

Delícia de história, vc transformou o medo numa coisa mais leve e divertida. Fiquei curiosa sobre o suicídio do cachorro... Vou aguardar e a torta vou experimentar.
Bjs

Regina Melo-Jocknevich disse...

Adoro a maneira como você cria uma conexão entre 2 assuntos que aparentemente não tem nada a ver. Como a Vania Lucia também estou curiosa sobre a estória do suicídio do cachorro...

Não guardo nenhuma receita de cor, até pra fazer Brigadeiro tenho que achar a receita, por isso não estou certa se sua receita é a mesma que eu tenho, deliciosa. Ainda essa semana estava pensando em fazê-la. Eu também uso receita de salsicha.
Já tomei muito batida de mamão (com leite) mas um suco deve ser muito refrescante.