quarta-feira, 1 de agosto de 2012

De volta

Fiquei 25 dias na casa da minha mãe. Agora, serão duas semanas por aqui e em seguida já estou voltando.

É a troca da guarda da rainha (que já falei aqui) e este tempo que fico longe eu faço igual às baleias e subo à superfície para respirar. E reunir forças.

Mas hoje quero falar do que encontro em minha casa quando retorno. E se o seu marido já ficou em casa sozinho por um longo período você vai entender melhor do que estou falando porque não sei explicar bem.

São pequenos detalhes que são alterados (quero dormir neste lado da cama), rotinas modificadas (à noite o meu cardápio será este), novos territórios são definidos (pode deixar o controle remoto comigo?)  e chego a pensar que ele gosta muito desta vida de solteiro.

E como a casa fica suja!!! Vou organizando (a casa e por dentro de mim), limpando, arrumando e deixando o freezer abastecido.

Sempre procuro (de acordo com o meu ponto de vista) deixar tudo visível e fácil de encontrar. Como tenho mania de limpeza (compro todos os produtos disponíveis) eu gostei muito desta ideia e no Kinder Ovo sempre tem uma parede.

Pensando bem, depois de escrever este post, acho que preciso de uma DR com o marido e colocar os pingos nos iiiiii’s




Atualizando o post: acho que dei a impressão de que tudo tem que ser da forma que acho certo. E que não tolero mudanças (sou meio mandona, é verdade). Tenho 34 anos de casada e um relacionamento construído com parceria e muito, muito amor. As mudanças que encontro tem sempre uma explicação: "durmo agora no seu lado da cama porque o seu travesseiro tem o seu perfume", "vamos mudar o cardápio para simplificar a vida doméstica", "você está vendo o quê na TV? Posso mudar o canal?" Nossa DR (ou CR, como diz a Tina) será passeando por aí, abraçadinhos e aproveitando estes momentos juntos.
Eu vi aqui

7 comentários:

Tina Bau Couto disse...

Adorei o porta utilidades!
Meu marido diz que não posso ver uma embalagem nova e que mercado nas áreas de produtos de limpeza e higiene para mim é um shopping.
Desaconselho a DR, invista numa CR (curtir a relação), o que ele tem de ruim tds os homens tem, encare assim: não são defeitos, são características do produto :)

Tina Bau Couto disse...

Esqueci de falar sobre sua brava, cristã e guerreira dupla jornada:
"No fundo, são as relações com as pessoas o que dá valor à vida"
A vida dos que te cercam tem com ctza mais valor e funcionalidade por terem vc, assim como as pessoas que te cercam tem seu papel de valor em sua vida.
"Experiência não é o que nos acontece, mas o que fazemos com aquilo que nos acontece"
Bons feitos por ai e bom CR :)

✿ chica disse...

É bem organizadinho com esse,heim? E nem sempre encontramos as coisas como gostamos...beijos,também voltamos das férias e estava tudo me esperando...Não só coisas a arrumar, mas problemas a resolver e esses, os piores do que qq. faxina,rsrs...beijos,chica

Maria Reciclona disse...

Puxa... tão simples e tão incrivelmente útil...
A vida também é assim: basta simplicidade para que tudo esteja onde deve estar verdadeiramente...
Bem, já que vai rolar uma DR por aí pense nisso rsrsrs. Abraços.

Leninha disse...

Gostei da opinião da Tina,não adianta DR,tem mesmo é que haver CR...o tempo em que vocês estão juntos é muito importante,amiga.

Quanto aos produtos de limpeza,aqui em casa parece filial de uma loja...daí gostei muito da forma organizada de arrumar os dito cujos.Os meus ficao debaixo da pia da área,mas para utilizá-los tenho primeiro que me abaixar para pegar e isto é bem complicado para minha labirintite.Vou copiar a ideia.

Bjssssss,amiga e não fique tristinha...são todos iguais.
Leninha

Fran Huesa disse...

adorei a porta...magnificoo...


bjos

Regina disse...

Que bela postagem Beatriz, você como sempre consegue escrever de uma maneira simples e muito gostosa de ler. Gosto muito quando você escreve sobre sua relação com seu marido. Como você eu tbém não tenho filhos e eu acho que isso provoca um tipo de relacionamento diferente entre os casais.
Lendo esse seu relato me lembrei de qdo viajo sozinha para o Brasil e depois volto para casa, por isso me identifiquei muito com você agora.