quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Novos pergaminhos do mar Morto



MEMORANDO 173, Setor de Design. Ref. reprod. aviária.
Gabriel, me diz uma coisa, com sinceridade: você manuseou o ovo? Apertou? Diz se isso é trabalho que se apresente?! Aquilo não resiste a um espirro!De fato, como você mencionou nas explicações anexas, o ovo é muito bonito, é harmônico, dá uma sensação de pureza que se coaduna com o ato da reprodução: mas quantas vezes eu terei que explicar que design não é fricote, é função?! Se dependesse de vocês, tigre ia ter cauda de pavão! Diga pros seus designers e outros querubins envolvidos no projeto que eu não criei a beleza para mascarar defeitos de estrutura! Ou vocês me trazem um ovo mais resistente até o quinto dia ou, em represália, reduzirei para 7 as 27 cores de vosso tão amado arco-íris.

Memorando 178, Setor de Design. Ref. mexerica.
De duas, uma: ou a casca da mexerica -bela evolução em relação à laranja- foi desenvolvida por uma equipe de designers e os gomos, por outra, ou seus talentosos e desleixados querubins deixaram os gomos por último e, às pressas, ignoraram aqueles irritantes fiapinhos brancos. Repensem. Se eu fizer o homem à minha imagem e semelhança, como estou pensando, ele vai ficar bastante descontente em gastar parte da existência desnudando a fruta dessa infame e pegajosa teia.

Memorando 235, Setor Táctil. Ref. sens. gelo.
Preguiça, preguiça, preguiça, Rafael! Quando eu acabar a criação, vou fazer uma lista dos sete piores pecados e botar a preguiça entre eles. Pois veja só: eu crio o gelo, que é em tudo oposto ao fogo: um é frio, outro quente, um concentra moléculas, outro as espalha, um conserva, outro destrói. Aí, peço a vocês para me dizerem qual a sensação que o gelo traz à pele e me dizem que ele queima, como o fogo?! Balela esse papo de reversão de expectativa -aliás, vou parar de ler essas explicações anexas, cheias de desculpas disfarçadas de proposta. Pensem numa sensação original e crível. Lembrem-se de que a criação tem que ser lógica, para que a lógica última resida em mim, e mais não direi, pois você -espero- deve ter lido os manuais.

Memorando 53. Setor de cavalgaduras. Ref. unicórnio.
Nem pensar. De cavalo estranho, já me basta a zebra.

Memorando 675. Ref. Ap. genit/ap. excret.
Uriel, diz uma coisa: eu pus o céu ao lado do inferno? Não. Sabe o significado de "antípoda"? Pois procure no dicionário. O peixe está no fundo dos rios, as aves, no firmamento. O sol a brilhar de dia, a lua a governar a noite. Então me diz, Uriel, como o aparelho reprodutivo de todo mamífero, toda ave, todo peixe e todo réptil tá colado no aparelho excretor?! Tá certo que pretendemos botar limites à libertinagem, mas não é espalhando excrementos na porta dos templos que impediremos a entrada dos infiéis. Repense.

Memorando 709. Ref. Cons. finais.
Dona Eulália, favor encaminhar um pote de ambrosia para cada querubim envolvido no projeto da banana, do seio e das bromélias. Demita imediatamente todos os responsáveis pelo gambá.
Sem mais, Deus.

Acabei de ler no Facebook e acho que você também vai gostar.
O autor - Antonio Prata - é filho do escritor Mário Prata.
Publicado aqui

2 comentários:

Tina Bau Couto disse...

PERFEITO!
Amei :)

Leninha disse...

Querida Beatriz,

Quase não vi esta postagem,pois sempre vou de duas em duas:aa do Bom dia e a outra.Gostei demais,o cara escreve muito bem e tem uma criatividade imensa.Maravilha de texto!Perfeito mesmo,como diz a amiga Tina.Então a referência aos aparelhos reprodutores e excretores,muito bem bolada,excelente!

Bela escolha,menina.
Bjsssss,
Leninha