terça-feira, 28 de maio de 2013

Uma foto e sua história


Cada foto conta uma história. Mas uma foto, sem a descrição, é como uma bússola sem ponteiros.

Esta fotografia em preto e branco mostra uma adolescente no dia da sua 1ª comunhão. Ela traz nas mãos o missal. Sua roupa indica que a família, provavelmente, era rica. A forma como o seu cabelo está penteado nos remete a uma pequena mulher e a ela resta cumprir este papel.

O ambiente reflete sobriedade, considerando alguns significantes como a madeira pesada e escura do móvel. E ao fundo alguns símbolos religiosos.

Para tentar identificar, apenas uma breve dedicatória: “À madrinha Sinhá, uma lembrança da minha primeira comunhão – Maria J.”.

J de Juliana, Júlia, José, Julieta, Joana??? Não sei.

Uma pesquisa mostra que o estúdio de Photographia Russo (Rua Libero Badaró, 145 – São Paulo), não mais existe.

Qual seria a história por trás desta foto? Onde viveu a linda menina de olhar firme? Casou? Teve filhos? Ainda vive? Que caminhos percorreu?

Queria pisar pelas ruas do passado e descobrir a sua história. Viajar no tempo e resgatar os hábitos, costumes e tradições desta época.

A fotografia chegou ao espaço Maria Artes & Ofício em uma velha mala de papelão, doação anônima de uma pessoa que vive na cidade de Barretos – São Paulo.

Para entender melhor é preciso conhecer um pouco a história deste espaço.

Ele foi fundado há 30 anos em Belo Horizonte, Minas Gerais e é uma escola de artes onde são desenvolvidas variadas atividades culturais relacionadas com as artes manuais. Os cursos atendem aos públicos infantil, adolescentes e adultos (estou matriculada e aprendendo a bordar) e harmonizam, com base em atividades artísticas, aspectos cognitivos, comportamentais, emocionais e motores.

Além disto, possui um acervo (disponível ao público) que mostra dezenas de peças bordadas de diversos períodos e estilos, além de objetos e instrumentos ligados ao ofício e uma preciosa coleção de material documental composta por revistas, livros, álbuns de fotografias e cadernos de riscos, dentre outros.

Este acervo foi construído ao longo dos anos pela fundadora da escola e também por doações de famílias. A cada ano uma nova linha de pesquisa e este ano as alunas da instituição estão conhecendo as tradições da 1ª Comunhão. E terços, vestidos, velas, missal, santinhos, fotografias vão passar a fazer parte deste acervo.

Você quer fazer uma doação? Basta entrar em contato com a fundadora da escola através de sua página www.mariaarteoficio.com.br
Conhece a história desta linda menina? Conte para nós.

8 comentários:

Rovênia disse...

Não sei nada sobre ela, mas a sua curiosidade rendeu um texto bastante informativo. Amei esse lugar, a ideia dele! Adoro fotos antigas, rituais que marcaram época, mostram um tempo que foi. Parabéns! :)

Tina Bau Couto disse...

Muito interessante!
Vou visitar o site da escola, voltar aqui para ler td de novo e comentar de novo.
Adoro fotos antigas, principalmente as de Primeira comunhão e Batismo.
:)

Maura Nelle disse...

Olá minha amiga, boa tarde! Gosto muito de vir pela manhã e retribuir sempre o gracioso bom dia com o qual nos brinda, mas nem sempre é possível. Agora encontrando um tempiho vim dar um olá.
Este post está maravilhoso, evocando sensações do passado, lembraças a muito esquecidas...De cada um de nós. A Memória é algo muito importantre para todos que percebem que a história de nosso passado é que nos põe em sintonia com nosso presente.

Obrigada pelas incríveis evocações! Um beijo carinhoso.

Paz e Bem,
Maura
Em tempo: Coicidentemente estou quase terminando um poste sobre o que você falou em seu comentário de hoje. Obrigada pela presença!

Pri disse...

Que interessante. Lindo projeto, Beatriz.
Sinto falta de um lugar para fazer uns cursinhos assim. Aqui não há nada muito parecido.
A imagem nos faz pensar em muitas coisas.
Agora fiquei super curiosa sobre a história da menina. Se fosse hoje, com um nome, uma mínima informação se acha tudo no Google. Acho isso triste por um lado. Mas só a foto nos traz apenas suposições.
Por isso permaneço anônima na internet.

Sobre a máquina John Lewis. Ela não vai sair da minha cabeça. Mas reconheço que essa máquina não se compara com uma boa Singer. Ela só costura tecidos leves. Mas que é linda, é!

Beijinhos e uma super quarta!

Jussara Neves Rezende disse...

Muuiiiito boa a análise que vc fez da fotografia! :D

Carmen Ferreira disse...

Olá Beatriz
Que projeto incrível. Amo fotos antigas, tenho até um board no Pinterest sobre elas.
Vou lá no Maria Artes e Ofícios para conhecer.
Tô seguindo para acompanhar de perto teus posts...
bjos

Regina Melo-Jocknevich disse...

Que beleza Beatriz, e eu q morei tantos anos em BH e não conheci esse espaço - que desperdício o meu :(

ps.: estou na expectativa de ver seus bordados :)

Nina disse...

Sempre penso nas mesmas coisas qd vejo fotos antigas. Qd estou num restaurante ou café mt antigo, fico pensando nas pessoas que frequentavam aquele lugar, ha´tantos anos... ou qd vou a um mercado de pulgas. Sempre penso nas pessoas que ali estiveram. Amo esse pensamento...

a menina é bem bonita mesmo.
Minha mae tinha uma foto mt parecida, nao tao pomposa, mas o estilo é o mesmo, nos anos 50.

Bjs