segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Você já conhece o Antônio?

 
O nome dele não é Antonio. O nome é Pedro Gabriel Anhorn. Mas pode chamá-lo de Antônio.

Com quase 600 mil seguidores no Facebook, este é o cara que mostrou ser possível fazer poesia em um guardanapo de papel.

Os guardanapos trazem frases e desenhos que brincam com o cotidiano. Fazem trocadilhos com a vida, carregadinhos de irreverência e doses de poesia. São comentários alegres, irônicos, sarcásticos ou tristes, mas que mostram que a vida deve ser necessariamente simples para ser bem vivida.

“Eu me chamo Antônio” tirou o guardanapo da mesa e virou página no Facebook, aterrissou no Instagram, é um blog e está nas livrarias.

Saborear “Eu me chamo Antônio” é sempre uma oportunidade de enriquecer com as palavras. É começar o dia com a alma limpa.







6 comentários:

Ana Paula disse...

Já conhecia quem em papel de pão, guardanapos, papel toalha adora poetar!
Antônio, a expressão destes poetas que fluem, voam, pousam até em guardanapos feito passarinhos.
Já folheei e me encantei!
Beijo e tarde refrescante.

Tina Bau Couto disse...

Eu sou escrevedora em guardanapos desde tempos antigos
De anotações, recadinhos, poesices
E tb em sacos de pão, de embrulho, no avesso de notas fiscais...
Me reconheci e vou fuçar, fazer laços, rabiscos, vínculos; vincos...

Antonio,Tonho, Toinho
Nome santo, poético, de simplidades e encantos

✿ chica disse...

Que beleza isso!Adoro coisas assim! bjs,chica

simplesmentefascinante disse...

olá de novo...
essa tal de criatividade não cansa de nos surpreender!
adorei a ideia e a iniciativa.
E...viva o Antonio e seus guardanapos.
bjão
Mari

casa de professora disse...

NOSSA ISSO É BÁRBARO! ADORO POESIAS E ME LEMBREI DE QUANDO ADOLESCENTE NA QUERMESSE DA IGREJA, ESCREVIA CORREIOS ELEGANTES COM POESIAS PARA OS PAQUERAS...

Alicia disse...

QUE BUENAS FRASES!!!
SALUDITOS