quinta-feira, 17 de julho de 2014

Pão da Cristina

Hoje vou inaugurar uma nova tag aqui no blog – Receita de Quinta.

Gosto de cozinhar e marido – o meu público mais fiel – não abre mão de vir almoçar em casa (o trabalho é bem perto) e como hoje eu tenho um escritório virtual é fácil, para mim, conciliar as atividades de uma casa e a minha vida profissional.

Assim, você vai encontrar aqui, sempre na quinta-feira, uma receita preparada por mim. Já vou avisando que você não deve esperar grandes produções fotográficas porque não sou boa isto. São apenas receitas simples e testadas. Feitas com muito amor, ingrediente essencial que realça os sabores, os aromas, as cores e texturas do que preparamos.

Já contei AQUI que estou fazendo queijos para o nosso consumo. E um subproduto do queijo é o soro. 


Quando transformamos o leite em queijo temos uma água meio turva que é o soro – denominada whey protein e muito apreciada pelos atletas. Trata-se de uma proteína de altíssima qualidade indicada para os que desejam construir ou reparar tecidos musculares.

Podemos utilizar este soro de várias formas e uma das mais apreciadas por mim é no preparo de pães, substituindo o leite ou a água indicados na receita original. O seu uso deixa o pão mais fofinho, além da economia que faço porque acho um absurdo pagar mais de R$ 30,00 pelo quilo de pão (só o pão francês é mais barato).



A receita de hoje tem o nome de uma amiga muito querida porque foi ela quem me deu esta receita (assim, ao longo dos tempos, as receitas vão mudando de nome e descobrir a sua origem é quase impossível).

Outro segredinho: é complicado fazer pão no inverno, principalmente se não temos um espaço mais aquecido para deixa-los crescer (o que é o meu caso). Para resolver isto eu coloco o pão em cima do fogão, coberto por um pano (sem encostar na massa). E ligo o forno. O pão cresce e é bonito de se ver esta transformação.

Espero que você faça. E se gostou, conte para mim.

Pão da Cristina

4 xícaras de soro morno (pode substituir por leite e a temperatura é semelhante à mamadeira de bebê).

4 tabletes de fermento fresco

Dissolver o fermento no soro e juntar 1 colher de sopa de açúcar e 1 xícara de chá de farinha de trigo. Mexer, tampar com um pano e deixar descansar (até começar a fazer pequenas bolhas).

Em seguida, misturar 1 xícara de óleo, 1 xícara de açúcar (menos 1 colher de sopa), 1 colher de chá de sal, 3 ovos. Acrescentar farinha de trigo até soltar das mãos e da vasilha (mais ou menos 2 kg de farinha). Deixar descansar (esta é a hora de colocar em cima do fogão para deixar crescer até dobrar de volume).

Modelar os pães e colocar em assadeira sem untar. Crescer novamente (em cima do fogão, se necessário)

Colocar para assar. Assim que retirar do forno pincelar manteiga.

Só para completar: de quinta é uma expressão popular utilizada quando queremos dizer que alguém ou algo tem valor duvidoso, desprezível, de mau gosto. Muitas vezes vem acompanhada da palavra "categoria". Aqui, além de fazer referência ao dia da semana, quero deixar claro que não sou uma chef, apenas uma cozinheira. E com muita honra.

5 comentários:

✿ chica disse...

Que boa ideia ,compartilhar tuas receitas! Essa pão deve se muito bom. Vou guardar! Obrigadão! bjs, chica

angela disse...

parabéns, seu pão ficou lindo. o soro é perfeito para este tipo de utilização, bjs

Simone Felic disse...

Minha mãe fazia queijo e uma dia provei esta água , nunca mais quis saber , não sabia que poderia ser aproveitada, ela jogava fora.
bjs
http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

lenalima disse...

Coisa boa , vamos ter receitinhas,adorei!
Também faço pão , mas nunca fiz com o soro do leite.
Aqui chove muito hoje e está frio! bom restinho de semana! bjss

Regina Melo-Jocknevich disse...

Bom dia Beatriz.
Uma ótima idéia essa sua nova seção Receita de Quinta, vou estar sempre por aqui para checar suas receitas, e qdo for ao Brasil vou procurar pela forma de fazer queijo, eu já fiz manteiga mas nunca queijo, e eu adoro um queijinho mineiro :)
Filha de padeiro tbém nunca fiz pão, só pizza com massa (q 'roubei' da padaria) de pão.